24.1.11

sobre a adolescência.

No sábado retrasado meu computador parou de funcionar, até que foi consertado (e formatado), onde quando recebi de volta na quinta feira passada, resolvi fazer uma limpa e organizar todos meus documentos que estavam em milhares de pastas nada padronizadas desde 2003.

Fiz isso na quinta feira das 21:00 à 01:00, sexta à noite e sábado durante a tarde inteira.
Foram 3 dias de "remembers" de festas, amigos e blogs criados onde os posts se resumiam a "Não fiz nada hoje e meus pais não me deixam sair". hehe

Quem me conheceu na época, sabia que meus pais não eram fácil, bem diferente dos pais das minha amigas que eram bem mais liberais.
Hoje em dia não acho que tenha perdido nada realmente importante. Não tenho como dizer que deixei de fazer amigos, blablabla. Claro que eu pensava isso antes, mas agora não acredito que tenha sido tão importante.
Deixei sim de ser mais influenciada.
No final, acredito que nenhuma de nós se saiu mal, por ter tido mais ou menos liberdade.

Li um post onde escrevi que meus pais iriam se separar, em 2004. Eu já nem lembrava mais disso, apenas que eles quase se separaram, mas não o quão perto nós estivemos disso acontecer. Meu pai faleceu 3 anos depois, e por mais que as mágoas das coisas que ele fez enquanto esteve aqui ainda não me deixam ver ele como o santo que minha irmã vê atualmente, acredito fortemente que aconteceu exatamente como tinha que acontecer: meus pais não se separaram e meu pai não teria onde/como viver, e 3 anos depois, a doença veio e a separação foi inevitável. Ninguém precisou fazer uma escolha.

As saídas noite afora (até hoje não acredito que às vezes conseguia voltar 7 da manhã sem levar broncas) e as festas eram bem divertidas às vezes e outras um tédio.
Claro que só lembro das divertidas.
Tenho fotos bizarras, que não mostro pra ninguém, porém não consigo apagar: feiuras de uma bêbada.
Elas são vergonhosas, mas me lembram como eu me divertia sem medo do que os outros
pensavam (até demais!), coisa que hoje em dia, é muito difícil fazer.
Não tenho filhos, marido, carreira, mas quando crescemos, criamos alguma vergonha na cara né? Infelizmente.

Depois dos 18 anos já me sentia velha. Quase não aguentava passar a madrugada na festa, e hoje raramente passo das 2 da manhã em qualquer lugar. Se tiver um sofazinho, opa! Fico por ali mesmo.
Não é triste?

Bom, o post foi mais pra dizer que eu me diverti, mas mudei bastante da menina de 15 anos. O estilo era vergonhoso, mas graças a Deus, minhas atitudes sempre foram boas.
Eu evoluí, e espero que daqui a 5 ou 7 anos eu tenha evoluído muito mais e possa sentir orgulho do que já fui, mas principalmente, do que serei então.

6 comentários:

AnaMel disse...

ah... que post legal! sempre que a gente pensa no passado é nostálgico. ver como as coisas mudaram, melhoraram e fizeram a gente ser mais forte é muito bom! beijo Jujuba! :*

daniela malkovitz disse...

que bonito : )
acho que na "juventude", nada limita muito a gente quando a gente quer se divertir. no seu caso, nem os pais. no meu caso, nem a falta de grana.
ow, ainda bem que hoje você é um tiquinho menos "jovem" do que eu era na tua idade : P
faz bem pro futuro, acredite ; )

^^camis^^ disse...

Não sabia que você também tinha perdido o pai... como eu sou tonta, e no outro post fiquei falando para você sobre "quando eles se vão", tá vendo? a gente sempre acha que o mundo ira em torno das nossas experiências, né?

Agora sério, e vc falando que não tinha amigos e tals, meu, vc farreou muito hahahahaha

como eu sou velha e não sou do tempo da camera digital não tenho tantas fotos da minha adolescencia...


beijosss

ah, você escreve muito bem, se vejo uma atualizaçãozinha no blogroll do seu blog eu venho correndo, adoro...

Juliana disse...

Camis, imagina, não tem problema.

A verdade é que nunca me dei muito bem com meu pai, então sua experiência não foi a mesma que a minha, mas conheço muita gente que tem pais maravilhosos!

hahaha, tenho poucos amigos em que posso confiar... festa é outra coisa, né? =)

Pois é, sinto mta falta de dias que não tenho nenhuma foto... acabo lembrando muito pouco.. por isso faço bastante questão de tirar fotos sempre que possível.

Poxa, muito obrigada. Fico feliz =)

Bjs!!

Jaison Dinho... disse...

Esse é o sentido na vida, eu acho, poder olhar pro passado e ter orgulho, ter saudade, saber que por aquilo tudo que se viveu vc se tornou essa pessoa de hoje, nunca se arrependa do que fez..só daquilo que deixou de fazer(sei que isso já foi falado)..mas é verdade...O melhor de revirar o passado e ver que apesar de termos passado por cada barra, mesmo assim vivemos....

Mariana disse...

Meus pais tb eram pouco liberais. Hoje eu não sei bem avaliar se perdi muito ou pouco, mas acho sim que perdi algo. Acho que eu deveria ter me divertido mais, criado mais vínculos com pessoas que talvez ainda estivessem aqui comigo hoje. Bom, enfim! Adorei o post =)

Beijinhos!!

http://mmansur.blogspot.com/